O Festival

Nas sete edições anteriores consecutivas, cerca de 15 mil pessoas assistiram a mais de 260 documentários, muitos deles inéditos na Bahia e Brasil.

O Festival promove o intercâmbio de ideias e incentiva que a cidade de Cachoeira e o estado da Bahia conectem-se ao mundo através do cinema. Além dos debates com os realizadores, foram realizadas 15 oficinas e 26 mesas-redondas, que ocuparam lugar de destaque na programação.

Em 2016, os premiados da Mostra Competitiva foram:
Júri oficial:
Melhor longa ou média-metragem:
“Taego Awa” (GO), de Marcela Borela e Henrique Borela
e
“Vozerio”(RJ), de Vladimir Seixas

Melhor curta-metragem:
“Nunca é noite no mapa” (PE), de Ernesto Carvalho.

Menção honrosa:
“Jonas e o Circo sem Lona”, de Paula Gomes,
e
“Onze” (CE), do Coletivo Nigéria, coletivo Zóio e Voz e Vez das comunidades.

Júri jovem:
Melhor longa ou média-metragem:
“Orestes”, de Rodrigo Siqueira

Melhor curta-metragem:
“Quem matou Eloá?”, de Lívia Perez,

Menção honrosa: “Procura-se Irenice”, de Marco Escrivão e Thiago B. Mendonça